terça-feira, 10 de julho de 2012

.led.

.este diálogo é entre pai e filha, por ele.
 
 
 
- "E ai filha, como foi a oficina de marcenaria hoje?!"
- "Irado, pai. Hoje mexi com eletronica. Comecamos a fazer a ligacao com o negativo para amanha com o fio do positivo a gente acender as luzes de led.
- (mudo por 30 segundos).
- "pai, ta ai?! pai?!"

.jeitinho (brasileiro?).



.L: mãe, coitada de mim!

.F: hã?

.L: sou a única, da minha turma, que não tem um irmãozinho!

.F: filha, mas a mamãe não tem nem namorado... ...é mais fácil você pedir pro teu pai.

.L: ah, mãe! você dá um jeito!

.saudade e consequência.

.a caminho do aeroporto. destino: férias da liv em sampa.




.L: mãe, vou ficar com saudades...

.F: e eu, filha? não vou ter ninguém pra saber se comeu, tomou banho, fez a tarefa, passou hidratante, escovou os dentes... ...não vou ter ninguém pra aperrear... ...snif...

.L: ah, mãe, o trabalho de ter outro filho é teu!

.perdedora.


.na guarderia.



.L: mãe, segura meu remo?

.C (rapaz que guarda as pranchas): “mãe”? ela é tua filha?

.F: é. você não sabia?

.C: não mesmo. parecem irmãs.

.F: adoooooooooro!!!

.L: é, eu sempre saio perdendo...

domingo, 8 de julho de 2012

.enrolada.




.livinha ansiosa pela viagem de férias, não estava nem aí pro marzão que estávamos curtindo. contando os segundos pra ir embora e muito paciente em relação a minha vontade de ficar, não segurou e soltou: tá bom, né, mãe? to me sentindo mais enrolada do que velhinha em cassino.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

.IRONIA.


.dia longo, cheio de obrigações (eu) e diversões (ela - de férias). umas oito e muito, livinha dá aquela bocejada.




.F: cansada, filha? [irônica] “não, sempre bocejo assim, quando estou super-disposta”. e dou aquela risadinha.

.L: mãe, na boa, essa ironia fica melhor na minha voz.

.politicamente incorreta.



.L: mãe, eu quero assistir aquele filme... ...“professora sem classe”, alguma coisa assim, mas o papai disse que não é bom para minha idade.

F [lembrando o acordo parental]: é, filha, não é mesmo uma boa idéia...

.L: mas é comédia, mãe...

.F: eu sei, filha, mas é uma comédia muito politicamente incorreta.

.L: mãe, “os simpsons” também são e eu adoro!

.a morte.


.jantar em família, livinha “jogando”.




.F: meu amor, você consegue parar ou a mamãe vai ter que tomar o brinquedinho?

.L: pera, mãe, deixa só eu morrer!

...faço o obvio de quem já não tem mais paciência nenhuma depois de um dia cansativo: coloco a mão na tela do joguinho.

.F: isso! querendo a morte da própria filha...

terça-feira, 3 de julho de 2012

.das postagens.



.L: mãe! eu deixo você postar nossas conversas no fb...

.F: filha, se você não quiser, eu paro. eu só divulgo porque você liberou.

.L: mas eu deixo, mãe! é só você me prometer uma coisa!

.F: e o que é?

.L: não me marque nas publicações.

.F: mas eu nunca marquei...

.L: então diga pra ninguém me marcar...

.gorda.



.F: filha, você notou que a mamãe emagreceu?

.L: não.

.F: sério? todo mundo notou...

.L: mãe, eu notaria, se você fosse gorda.

.F: adooooooooooooro!

.neurologista.

.não lembro o que a pequena fez, mas minha reação foi um “tá ficando doida, filha?”. L: tô não, mãe, sou! ou você não estaria me levando ao médico da cabeça*.



*leia-se neurologista.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

sexta-feira, 29 de junho de 2012

.pedagogia.



.L [discutindo com uma amiguinha e recorrendo à mãe]: mãe, pedagogia é uma formação para cuidar de crianças que têm problemas, né?
.F: não, filha, pedagogia é para quem educa. os professores de vocês são formados em pedagogia.
.L: então!
.F: então o quê? você disse que era uma formação para cuidar de crianças com problemas, vocês não têm...
.L: claro que temos, mãe! todo mundo tem!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

.eu não sei fazer nada.


 

 

 

.F [preocupada porque tinha que sair de casa e ficar “longe” por uma hora e meia]: filha, to indo, viu? se quiser comer, tem frutas, queijos, sucos, leite, pão, chá... .tudo pronto. não faça nada (na cozinha) que não tenha feito antes, viu?

 

.L: mãe, cá entre nós: eu não sei fazer nada.

.google.



.liv, em casa, com uma amigona.



.L: mãe, como faz para “acordar” alguém com sono?
.F: quem tá com sono?
.L: a luana.
.F: então vão dormir!
.L: nãaooo... .ela não quer dormir. quer madrugar comigo. vê no google aí, mãe!

quarta-feira, 27 de junho de 2012

.livro.




.F: filha, vai acontecer muita coisa bacana nas férias, hein?

.L: vai mesmo!

.F: primas, tias/tios, sampa, prima nova (nascimento), cachorrinho (realizando um sonho), oficina circense e de brinquedos artesanais... .tô com inveja! quando a escola pedir pra você fazer uma redação sobre as férias, vai ter que ser uma para cada tópico!

.L: é... .e eu acho que vou escrever é um livro.

.óbvio.


.sol das duas (da tarde).



.L: ai, mãe! minha barriga tá quente!
.F: é o sol, né, filha...
.L: não, mãe! é a chuva...
.F: lívia...
.L: ah, mãe! é que as pessoas estão falando muito o óbvio, hoje em dia.

.dez.




.F: filha, bora almoçar.

.L: já já, mãe!

.F: filha, o almoço está na mesa...

.L: take it easy!

.F: é sério, livinha, vamos almoçar agora!

.L: calma, mãe...

.F: to calma (ainda)...

...

.F: bora, filha, já chamei sete vezes. é demais, viu?

.L: mas o normal não é dez?

.queijo com rapadura (do roque).


.comendo queijo coalho aroeira com a rapadura que ganhei do roque.



.F: delíiiiiiiiicia, filha! que delíiiiiiiiiiicia!

.L [tirando uma foto]: click!

.F: ah, filha, gostei não. to feia!

.L: mãe, não dá pra ficar bonita comendo queijo com rapadura.

.esperança.


.curtindo um sonzim.



.L: ouvir “cold play” me dá esperança.

.F: é? esperança de quê?

.L: de ir ao show deles!

.gay.



.L: mãe, o justien bieber é gay?

.F: sei lá, filha. por quê?

.L: porque eu quero saber!

.F: e faz diferença?

.L: claro que faz! quer dizer, pra mim, faz!

.F: sério? você gosta mais ou menos de um pessoa se ela não tiver sua mesma crença, cor, opção sexual ou raça?

.L: não, né, mãe!

.F: então por que faz diferença?

.L: porque eu quero saber se todo menino bonito é gay.

.chefe de família.



.depois do hipismo, fomos ao vestiário, para a pequena vestir a roupa da aula de inglês. mooooooooorta de cansada, mas satisfeitíssima com o desempenho, ela senta numa poltrona, suspira e pede “mãe, puxa minhas botas?”. vou lá, né? estudei pra quê? tirando a segunda (bota), escuto uma fala mansa “estou me sentindo o chefão da família”...

.auto-retrato.

.como a totalidade da geração Z (não só), a pequena tem o hábito da fotografia, o que inclui os autoretratos. numa dessas, dela ficar fazendo pose para “a máquina”, eu acabei aparecendo...



.L: mãe! vc ficou feia!

.F: eu saí (na foto)? cadê?

.L: já apaguei.

.F: pois isso que é feio, viu? muito mais feio: você tirar uma foto que eu apareço e depois apagar.

.L: querida, acredite: não é mais feio.

.chave de casa.


.estava conversando com a pequena sobre o fato de se ganhar a chave de casa aos 10.



.F: filha, vc sabe da importância, dos cuidados e tal?

.L [sem tirar os olhos do iTouch]: claro, mãe!

.F: é sério, viu, livinha! olha só: eu tenho uma amiga, da minha idade (33), que só ganhou as chaves este ano. ontem mesmo, estávamos comemorando “a conquista”.

.L: ah, legal! sinal que estou adiantada! quer dizer, coitada! está muito atrasada!

terça-feira, 26 de junho de 2012

.ozônio.



.F: filha, amanhã não vou te pegar na escola, ok? você volta com o ricardo porque a mamãe tem uma reunião com o orientador na hora do almoço.

.L: ah, com o ozônio (herança paterna: adora colocar apelido no povo)? gosto muito dele! mesmo ele não gostando da tua profissão (com certeza, em alguma reunião, a pequena ouviu o professor contando aquelas piadinhas sobre advogado).

.F: hã?

.L: é, eu gosto dele porque ele é inteligente, gente boa e divertido.

.bum bum pow.


.ouvindo stereo hearts.



.L: mãe, o que significa “stereo heart”?

.F: o que significa “heart”?

.L: coração!

.F: e “stereo”?

.L: aquele tipo de som?


.F: então, o que você acha que significa “stereo heart”?


.L: um coração que toca assim, ó? como aquela música do black eyed peas, “bum bum pow!”...

.família jovem e agitada.


.lendo sobre a raça do cachorro que o pai dela vai comprar: “adapta-se a único dono ou a família jovem e agitada...”.



.L: é esse mesmo, mãe! somos jovens e agitados!!!

.amizade.


.Oi. FINALMENTE SINAL. Ainda me acostumando! Bem, me liga quando chegar.



.recebi um sms com este texto. qdo vejo o remete: liv (a pequena)! ao chegar a escola, esqueço a pergunta rotineira (como foi o dia?).

.F: filha, e esta mensagem?

.L: o que é que tem?

.F: muito estranha. não tem um “mãe”, “meu amor”, sei lá, alguma coisa que identifique que é de filha pra mãe. parece uma mensagem para as tuas amigas.

.L: e você não é minha amiga?

quinta-feira, 21 de junho de 2012

.tua cara.



.liv vai a sampa, em julho. passar as férias com quem ela ama muuuito: as primas (bea, 12 e cacá, 7 anos). juntas, vão fazer oficinas circense e de construção de brinquedos. animada, me mostrou o site de uma das escolas que o pai a matriculou. percebendo que as turmas estão divididas por idade, perguntei “e a cacá também vai fazer com vocês?”. L: vai, sim! mas a turma dela é para criança e a nossa é para pré-adolescente. .F: sei... .L: sou mocinha, mãe! lembra não? tua cara. tua cara, dizer isso...

.loira do banheiro.




.a pequena estava apertada, então, entramos no restaurante e fomos direto ao banheiro. ela abre a porta toda aperreada e... .eita! tomamos um susto! tinha gente dentro! “como é que a pessoa usa o banheiro (público) de porta aberta?”, pensamos juntas (com certeza!). surpresa, até maior, foi ver que era uma amiga minha. loira, alta, olhos azuis, (ex?) modelo, inteligente (viu? pode ser bonita e inteligente. tem problema não!). fez direito, mas ama mesmo a psicologia (acho que ela acaba este ano e já entra no mestrado). adora ler. e se não me engano, tem uma quedinha por nietzsche. pois bem, a estudiosa aí, saiu do banheiro se justificando pela porta aberta “aff, flavinha! como é que pode? um restaurante como este, com banheiros assim, sem trava? povo chique tem vergonha não, é?”. a livinha estava tão desesperada, que nessa hora, já estava saindo do banheiro. aliviada, chegou para minha amiga e disse: “vem cá, que eu te ensino a fechar a porta...”